CURSO: A ALQUIMIA DO BRIGADEIRO – do básico ao exótico

Agora é real e oficial!!!

Estamos com o curso 100% on line A ALQUIMIA DO BRIGADEIRO: do básico ao exótico.

O que isso quer dizer?
– Que fará no conforto da sua casa, no seu tempo disponível e poderá adiantar ou voltar as aulas quantas vezes quiser.
– Que quem não sabe por onde começar a fazer um brigadeiro, aqui pego na sua mão e ensino do zero
– Que quem já faz brigadeiro para vender pode aprender novas técnicas de saborização do brigadeiro e levar novidades para o cliente.
– Que quem sempre erra o ponto, a partir do curso vai acertar sempre!
– Que além das aulas gravadas também teremos encontros virtuais (avisados antecipadamente), onde poderemos conversar e tirar dúvidas ao vivo.

Vou deixar aqui um dos vídeos que faz parte do curso para analisar como são as aulas.

Começo com um brigadeiro básico e depois ensino a transformá-lo no irresistível brigadeiro de leite em pó e recheá-lo com aquele famoso creme de avelã

E logo abaixo também deixarei o link do curso para quem quiser já aproveitar a oportunidade e se inscrever no curso.

Faça sua matrícula aqui

Nos acompanhe também nas redes sociais.

Veja no instagram da @deliciando e pelo Facebook – Deliciando.com.br

 

 

Espero por vocês!

 

NÃO USE FARINHA NO BRIGADEIRO!!!

Se já viu receita de brigadeiro nos sites ou nos vídeos, então DESVEJA…rsrsrsrs

Colocar farinha no brigadeiro além de ser preguiça, para dar o ponto mais rápido, é perigoso!

Ahhh… prô, quanto exagero!!! Vc acha que uma colherzinha de chá de farinha trigo no brigadeiro vai fazer mal????????

SIIIIMMMM…

Vamos às informações oficiais do site do Conselho de Saúde:

“Você “reconhece” a doença celíaca?

A doença celíaca é uma doença autoimune caracterizada pela intolerância permanente ao Glúten (proteína presente no trigo, centeio, aveia, cevada e derivados, como o malte). Esta doença é amplamente conhecida em muitos países, porém, no Brasil ainda há poucos diagnósticos, pela falta de divulgação no campo da saúde, que gera desconhecimento dos sintomas clínicos.
A doença celíaca não possui tratamento clínico medicamentoso específico. A única forma de intervenção é o controle rigoroso da ingestão alimentar, com a exclusão do glúten da dieta. No entanto, esta característica comumente exclui o celíaco do convívio social devido à restrição alimentar.”

Números sobre a doença celíaca no Brasil:

  • Afeta em torno de 2 milhões de pessoas no Brasil, mas a maioria delas encontra-se sem diagnóstico.
  • A doença celíaca pode aparecer em qualquer fase da vida, e atualmente, estima-se que a cada 400 brasileiros um seja celíaco.
  • De cada oito pessoas que possuem a doença, apenas uma tem o diagnóstico.
  • A doença celíaca é cosmopolita e afeta pessoas de todas as classes sociais. No Brasil a miscigenação vem rompendo a barreira etno-racial sendo diagnosticada entre os afrodescendentes e os povos indígenas.

http://conselho.saude.gov.br/ultimas_noticias/2013/05_maio_14_fenacelbra.html#:~:text=N%C3%BAmeros%20sobre%20a%20doen%C3%A7a%20cel%C3%ADaca,delas%20encontra%2Dse%20sem%20diagn%C3%B3stico

Há casos de crianças e adultos que foram para no hospital porque comeu um brigadeiro com farinha.

Então, tenha esse cuidado com o cliente e os convidados dele.

Venda com responsabilidade para vender bem e sempre!

Me conta aqui nos comentários se vc conhece alguém que passou mal com o brigadeiro.

🙂

Veja no instagram da @deliciando e pelo Facebook – Deliciando.com.br

 

 

Conhece os ingredientes principais do brigadeiro?

Geeenteeee… hoje é segunda-feira, dia oficial do regime, mas vamos falar sobre cada ingrediente do brigadeiro?

Leite condensado: é o principal ingrediente para que seja feito o doce. O ideal é sempre usar de boa qualidade para que não comprometa o resultado. Existe:

  • Integral;
  • Semidesnatado;
  • Desnatado;
  • Sem lactose;
  • Soja;
  • Diet;
  • Light.

Gordura: é para dar brilho, maciez e reforçar o sabor, seja ela, manteiga, margarina, creme de leite ou gema (que também é espessante).

Tipos de gorduras:

a) creme de leite: caixinha (17%), lata (25%) e fresco (35%);
b) manteiga: sem sal;
c) margarina: sem sal;
d) gema: é um ingrediente que hoje em dia deve ser evitado porque há mais pessoas com alergia ao ovo.
e) azeite, é uma gordura boa e pode ser usada na composição da receita;
f) óleo de coco, também usado por quem é vegano ou vegetariano. (Em alguns mercados é possível encontrar a manteiga de coco com ou sem sabor de coco)

Saborizante: tem a função de promover o sabor desejado. E não tem certo ou errado, depende muito do que se quer oferecer ao consumidor final.

Tipos de saborizantes:

  • Especiarias: cravo, canela, cardamomo, cumaru, amburana;
  • Ervas frescas ou secas: capim santo, erva cidreira, erva-doce, hortelã, manjericão;
  • Pastas de frutas: importada ou nacional;
  • Frutas secas: figo, mamão, damasco, morango, blueberry, etc.
  • Frutas frescas: banana, morango, laranja, limão
  • Castanhas: pistache, nozes chilenas, nozes pecan, castanha de caju, castanha do Pará, castanha de baru, avelã, macadâmia, etc.
  • Bebidas alcoólicas: com gás e sem gás
  • Chocolate: branco, ao leite, meio amargo (50%-62%), amargo (acima de 70%) e chocolate de origens.
    a) Nobres: chocolates nobres são considerados puros, pois só contém manteiga de cacau. São excelentes para incorporar na massa do brigadeiro;
    b) Fracionados: são chocolates com gorduras misturadas podendo ser óleo de palma, de coco ou outras. Esse é ideal somente para fazer coberturas, caso deseje banhar o brigadeiro para ter uma casquinha bem fina.
    d) Chocolate em pó: 32%, 50% e 100%

Me conta aqui nos comentários o que vc não conhecia que poderia ser usado para o brigadeiro.

🙂

Veja no instagram da @deliciando e pelo Facebook – Deliciando.com.br