ESPECIARIAS – SÁLVIA E ZIMBRO

SÁLVIA: originária da Costa do norte do Mediterrâneo. Existem outras variedades: vermelha, usada para fins curativos e a branca (verde), usada em preparações culinárias. Surpreendentemente também por ser usada na confeitaria como sopas frias de frutas, cremes, waffle e biscoitos.

Como usar:

* folhas inteiras: fazer infusão na água ou leite.
* em pó: também pode ser feita infusão ou para finalizar.

ZIMBRO: muito usada em todo o Hemisfério Norte da Europa. O zimbro tem seus frutos parecidos com as pimentas-pretas, porém um pouco maiores. Usa-se no preparo de chucrute e em outros pratos da culinária alemã. Muito utilizado no preparo de receitas à base de carnes fortes. Pode ser usado também em molhos. Mas também pode usada em sobremesa como o crepe Suzette ou na bebida Gin.

Como usar:

– inteiras: para infusão ou decoração;
– em pó: para infusão ou finalizar.

DOCE DE ABÓBORA COM ZIMBRO

1kg de abóbora cortada em cubos de 3 cm
500g de açúcar refinado
7 grãos de zimbro (pode ser mais se preferir)
¼ de xícara de água

Coloque a abóbora, o açúcar, o zimbro e água em uma panela de fundo largo. Leve ao fogo médio até começar a ferver e depois diminua e deixe cozinhando até a abóbora começar a desmanchar.
Para manter bem conservada coloque em vidro esterilizado ainda quente. Tampe e coloque o vidro de ponta cabeça dentro de uma vasilha com água quente. Assim criará o vácuo e terá a validade de 6 meses ainda lacrado. Depois de aberto a durabilidade é de 1 mês na geladeira.

Veja no instagram da @deliciando e pelo Facebook – Deliciando.com.br

ESPECIARIAS – PRIPRIOCA E PUXURI

PRIPRIOCA: originária da região amazônica. Tem aroma muito específico. É um tipo de capim alto e as flores muito pequenas. Somente nos últimos dez anos que a priprioca começou a ser utilizada na gastronomia, onde é usada para aromatizar a sobremesa, como: pudim, caldas, caramelos, suflês, sorvetes, bolos, biscoitos, etc.

Como usar: em forma de raiz inteira ou triturada, é usada em infusões em leite ou água.

PUXURI: originário da região amazônica. O aroma é parecido com a da noz-moscada, mas muito mais mentolado. Pode ser usado em preparações salgadas ou doces, como: biscoitos, massa de tortas, recheios, cremes etc.

Como usar: ralado ou infusão.

PETIT GÂTEAU DE CHOCOLATE (*) COM PUXURI

200g de chocolate meio amargo
200g de manteiga
4 ovos inteiros
4 gemas
¾ de xícara de chá de rapadura ralada
½ xícara de chá de farinha de trigo
1 colher de chá de puxuri ralado

Derreta o chocolate, a manteiga e a rapadura no micro-ondas ou em banho maria. Em outra tigela, com o batedor de ovos ou fouet, misture bem os ovos, junte à mistura de chocolate, e por fim acrescente a farinha.
Unte as forminhas com manteiga. Encha as forminhas deixando 1 cm abaixo da borda.
Leve ao forno preaquecido a 200°C e asse por 8 minutos.

Sim! 8 minutos…se deixar mais tempo ficará totalmente assado e vai virar bolo. Não é isso que queremos, né?

Na hora de servir, derreta a rapadura no microondas por 10 segundos. Mexer para dissolver e colocar por cima do sorvete.
Rale a semente de puxuri para finalizar.

(*) Receita adaptada do livro  As doceiras, Carla Pernambuco e Carolina Brandão.

Veja no instagram da @deliciando e pelo Facebook – Deliciando.com.br